O programa Travessias, da Organização Internacional de Juventude para Ibero-América (OIJ), permitirá o intercâmbio cultural entre ambos países

O programa Travessias, promovido pela Organização Internacional de Juventude para Ibero-América (OIJ), permitiu que jovens de São Paulo e Lima (Peru) trabalhem juntos no desenvolvimento do projeto cultural “Memória Viva”, que busca recuperar a memória local em ambos territórios.

Com este fim, o projeto, elaborado pelo coletivo juvenil brasileiro Nossa escrita, Nossa voz! e pela organização social peruana Yapanax, tenta reconstruir e difundir, através dos meios sociais, a memória e o acervo patrimonial local, material e imaterial, da comunidade Vila Rubí (na periferia do extremo sul da cidade de São Paulo) e da zona rural de Chocas Carabayllo (norte de Lima Metropolitana, Perú).

Para conseguí-lo, ambos coletivos realizarão um intercâmbio em ambos territórios, que começa em São Paulo o 15 de fevereiro, até o 26 de fevereiro, co apoio da OIJ e a AECID espanhola, no que desenvolverão atividades de sensibilização, fóruns comunitários, entrevistas e a elaboração de filmagems em forma de “Pílulas de Memórias”, que serão difundidas por Facebook e Youtube.

“A tomada de consciência coletiva sobre o espaço e o meio é essencial para entender como devemos atuar.” “No Brasil, identificamos que muitos adolescentes não tinham perspectivas de continuar no bairro, tampouco conheciam sua história, se identificavam com ele ou tinham orgulho de pertencer a ele”, comenta Aline Laura Nascimento, coordenadora do grupo Nossa escrita, Nossa voz!, que trabalha pela difusão da literatura de autores locais nas bibliotecas públicas desde a biblioteca do CEU Vila Rubi “José Eurícledes Ferreira”.

“O projeto possibilita que os moradores repensem suas vidas, oferecendo oportunidades para que os jovens fiquem em seus territórios e não desapareçam deles”, engade Aline. “Com todas as entrevistas e atividades comunitárias previstas, tanto em Carabayllo como em São  Paulo, reconstruiremos o rico mosaico cultural destas comunidades, através de uma discussão intergeracional sobre a dualidade centro-periferia, o empoderamento local, a identidade juvenil e o registro da memória.”

Ativando a cultura local em Ibero-América desde a juventude

“Memória Viva” é só um dos sete projetos selecionados na primeira edição de Travessias, programa cultural de intercâmbio e mobilidade juvenil da OIJ para Ibero-América.

Nesta convocação também se escolheram outros projetos desenvolvidos entre grupos de países como Espanha, Panamá, México, Colômbia, Peru e Costa Rica, liderados por 14 coletivos culturais juvenis que serão mobilizados, ao longo do próximo ano, em uma dúzia de localidades de toda Ibero-América, com o apoio da OIJ.

“O objetivo é criar uma ecossistema cultural em torno destes projetos que permita fortalecer as iniciativas e processos culturais impulsionados por jovens, fazendo visível o importante trabalho que estão realizando em suas próprias comunidades em toda a região”, comentam os organizadores do programa.

Na primeira edição de Travessias participaram cerca de 200 coletivos culturais juvenis de toda Ibero-América, pelo que “a presença deste grupo de jovens de São Paulo, junto a outros de cidades como Madri, Cidade de México ou Medellín, será um forte impulso para projetar a nível regional a inovação cultural que os jovens paulistas estão liderando desde sua cidade”, segundo a OIJ.

Atualmente, a convocação para a segunda edição do programe Travessias está aberta e os coletivos juvenis de Ibero-América podem formalizar sua inscrição contatando com cultura@oij.org ou acedendo ao portal: juventud.org/proyectos/nuevas-culturas/travesias/

Co apoio de:

CONTATOS:

Comunicaçao OIJ: isanchez@oij.org

Cultura OIJ: cultura@oij.org

Responsável das atividades em São Paulo: Aline Laura Nascimento Tavella:  lialnt@gmail.com